quinta-feira, 5 de maio de 2011

TENHO PIEDADE DESTA MULTIDÃO

Dentre os inúmeros ensinamentos do padre Anizan, fundador da congregação religiosa Filhos da Caridade, encontramos um comportamento diferente para a Igreja da época (por volta de 1914) . Nesta era os padres não iam visitar o povo, desconheciam a realidade popular, as missas eram rezadas em latim, e muitas outras atitudes acabavam por distanciar o clero da população.
Padre Anizan faz de modo diferente. Seguindo o ensinamento de Jesus Cristo, o religioso deseja se aproximar dos pobres e deserdados de sua época. O padre Jean-Emile Anizan não se esconde das pessoas, mas vai ao encontro delas, no intuito de evangelizá-las, praticando esta evangelização por amor e sem diminuir as pessoas em sua estima. O método utilizado para evangelizar tem como ponto de partida a realidade do povo pobre e trabalhador.
Desta forma, padre Anizan pratica a Caridade integrando as palavras ao testemunho de vida baseado na Cáritas Deus, com sinceridade e empenhando todo o seu ser, padre Anizan deseja revolucionar o coração dos fiéis. Ele deseja transmitir aos pobres e trabalhadores a ideia de ser pastor e pai desta multidão que ele tem piedade. 
No nosso mundo em que o povo dos operários que sofrem a insegurança do emprego, o desemprego, um mundo em que a concentração de riqueza é uma afronta, como é atual a afirmação de São João:


"É assim que de hoje em diante conhecemos o amor: ele, Jesus, deu a sua vida por nós: nós também, nós devemos dar a nossa vida pelos irmãos. Se alguém possui os bens deste mundo e, vendo um irmão com necessidade, se feche à compaixão, como pernanecerá nele o amor de Deus? (1 Jo 3, 16-17)"
Nos nossos dias, ter compaixão por aqueles que estão em dificuldade é ajudá-los a erguerem-se, a porem-se de pé, na medida das nossas possibilidades. A todos aqueles que se encontram privados da palavra, é dar-lhes o poder de se exprimirem e a possibilidade de tomarem a vida pelas suas próprias mãos, como se diz aos jovens, "a glória de Deus é o ser humano vivo, e a vida do ser humano é a visão de Deus"(Tratado de Santo Ireneu contra as heresias)
É preciso também ter um amor apaixonado por todos aqueles que vivem numa indigência espiritual que os impede de ver  Deus. Nos bairros populares, as multidões de jovens e de adultos estão à espera de encontrar alguém que os ame, que os compreenda e ponha 'Deus e a religião a seu alcance'. Esta situação interpela-nos a todos: eu procuro alimentar minha fé meditando nas palavras de Jesus no Evangelho, alimento-me dos seus sacramentos: repleto de tão grandes bens., se vejo um irmão meu em necessidade, e me fecho à compaixão, se não procuro partilhar com ele tantas reiquezas espirituais que possuo, como permanecerá em mim o amor de Deus?" 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Bate Papo no Blog