quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Avaliando a caminhada.

No mês de dezembro os padres e diáconos Filhos da Caridade estão envolvidos no planejamento de 2010 e avaliando a nossa caminhada deste ano.
Como modo de partilhar a nossa missão, os padres Félix, Mahon e Luiz da paróquia São Geraldo em Santo André em conjunto com os amigos(as) que colaboram conosco, colocamos como prioridades a JUVENTUDE (dimensão Caridade), as MISSÕES POPULARES (dimensão Liturgia) e o CURSO BÍBLICO (dimensão sa Sagrada Escritura). Sabemos que somos instrumentos de nosso Deus-Pai-Caridade e assim, ao iniciar um novo ano litúrgico peçamos que a Luz Divina nos anime e nos guie para podermos fazer acontecer o Reino de Deus na medida do possível.
Agradecemos a todos que nos ajudam na evangelização; que Deus os abençoe e os preserve com boa saúde e paz.

Padre Alfredinho.

Freddy Kunz ou carinhosamente chamado de padre Alfredinho, fez parte de nossa congregação religiosa. Este nosso companheiro de caminhada ressuscitou num 12 de agosto de 2000 e esteve muito presente na vida das pessoas principalmente os pobres. Viveu em Crateús, passou pelos horrores da Guerra Mundial e em Santo André, sempre esteve a serviço da Irmandade do Servo Sofredor (ISSO).
Em sua missão apostólica, propagou o combate à violência com o uso da não violência, fez parte de uma Igreja ascética-mística e profética-libertadora, sabia evangelizar de acordo com a realidade de nosso povo. Em minha opinião foi um bom Filho da Caridade, valorizou os pobres através do "Grupo de Sete", pessoas que se dedicam a fazer artesanatos (pegadores de panela, saias, vestidos, coadores de café, velas, etc).
Padre Anizan nos pedia para sermos um outro Jesus Cristo na Terra. Com certeza, padre Alfredinho foi e nos ensina como ser Jesus Cristo nos dias atuais.
Bem-aventurado padre Alfredinho, intercedei por nós.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

ORDEM E PROGRESSO

"ESTE É O NOSSO PAÍS, ESTA É A NOSSA BANDEIRA/
É POR AMOR A ESTA PÁTRIA BRASIL QUE A GENTE SEGUE EM FILEIRA".
"Religião e Política não devem se misturar". Esta frase é defendida por muitas pessoas inclusive católicos, porém, em nossa congregação acreditamos que o Reino de Deus acontece também pela política sem partidarismos.
A nossa convicção parte dos seguintes fundamentos:
  • Jesus Cristo lutou para que o povo fosse livre e tivesse vida, por isto, as suas curas tem a dimensão de reintegração dos sofredores na sociedade. O Reino de Deus acontece também pela política desenvolvida honestamente.
  • O Papa Paulo VI já dizia: "o melhor jeito de fazer religião é pela política". Lidamos com pessoas e o ser humano é social e também político.
  • Jesus Cristo morreu como subversivo político e nós consideramos Jesus Cristo como o primeiro Filho da Caridade que existiu.
Por fazermos a opção de seguir Jesus Cristo, defendemos a ordem e o progresso para todos e não concordamos que hajam privilegiados, enquanto milhões de excluídos e marginalizados perambulam tentando sobreviver.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Cristo Rei da Universo

Em nossa congregação religiosa acreditamos e vivemos os ensinamentos de Jesus Cristo, Rei do Universo. Adoramos Cristo, porque o Filho de Deus mostrou uma realeza baseada nos seguintes contextos:
  • Realeza Histórica: Deus, por amor, quis e caminha conosco em nossa história, alegrando-se conosco quando os sinais do Reino de Deus (paz, justiça e amor) acontecem em nossas realidades, além de nos guiar nos desafios encontrados.
  • Realeza Política: Jesus Cristo foi político no sentido de estar a serviço dos que mais sofrem e nunca se corrompeu por dinheiro ou qualquer interesse anticristão.
  • Realeza Espiritual: O Mestre de Nazaré orava a Deus e vivia cotidianamente esta oração.
  • Realeza Prtofética: Jesus Cristo fez a vontade de Deus.
Adoramos Jesus Cristo, Rei do Universo e doravante queremos seguir e anunciar a realeza de Jesus Cristo, mostrando às pessoas que um outro mundo é possível, construído pela solidariedade, fraternidade e igualdade.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Frutos

No dia 25 de dezembro de 1918, nasce o Instituto dos Filhos da Caridade, desejado e aprovado por Bento XV. Ele mesmo lhe deu o nome.
" Nosso Senhor, que é o primeiro Filho da Caridade, veio revelar ao mundo a Caridade, o amor de Deus. Somos chamados a dar a conhecer aos pobres, aos deserdados, a caridade de Deus, o amor de Deus, pela nossa vida, pelos nossos exemplos e pelas nossas palavras"
No dia 1º de junho de 1920, dezoito Filhos da Caridade fazem sua profissão na presença do padre Anizan em pessoa. Padre anizan pode, até que enfim, ver o seu sonho sendo realizado: religiosos, sacerdotes e irmãos, juntos, pastores e apóstolos dos trabalhadores e dos pobres, cheios de caridade, na imagem do Cristo Bom Pastor evangelizando as multidões.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Convicções do padre Anizan.

"Queremos partilhar plenamente os sentimentos do nosso divino Mestre e fazer nossa a recomendação do grande apóstolo: 'Tende os mesmos sentimentos do Cristo'. Ora, viveu unido à Virgem Maria, mais do que qualquer um. Ele a amou e a ama com um amor de predileção; com ele nós queremos ser unidos a Maria no mais íntimo do nosso coração e lhe dar todo o amor posível. O nosso amor por Maria é uma consequência do nosso amor por Jesus".
(Padre Jean Emile Anizan - 1927)
"NÃO NASCEMOS PERFEITOS, MAS NOSSO MODELO DE VIDA PODE NOS CONDUZIR À SANTIDADE"

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Curai as nossas cegueiras.

Curai ó Pai Caridade as cegueiras do individualismo;
Curai ó Pai Caridade as cegueiras do consumismo.
Curai ó Pai Caridade as cegueiras do exibicionismo;
Curai ó Pai Caridade as cegueiras do narcisismo.
Curai ó Pai Caridade as cegueiras do hedonismo.

Curai ó Pai Caridade todas as pessoas de alguma desteas cegueiras e nos guie para sermos profetas da fé, da esperança e da Caridade, segundo a vossa vontade. Amém

domingo, 15 de novembro de 2009

Seguindo o exemplo do bom pastor

A atitude pastoral, espelhada em Jesus Bom Pastor, é de atenção, de respeito, de abertura ao outro, de compaixão, de preocupação por aqueles que estão sozinhos e perdidos no caminho da vida. O pastor, seja ele leigo, sacerdote, religioso, religiosa, ou comunidade, cura, acompanha, guia, reúne. Ele é um artesão da paz. Esta atitude é o que o Senhor pede à sua Igreja.
"Para o zelo apostólico, podemos aplicar as mesmas características que São Paulo coloca para a caridade, porque, pensando bem, o zelo apostólico é um dos mais importantes aspectos da caridade, a mais bela flor e a sua mais bela irradiação. a Caridade, diz o grande Apóstolo é paciente, prestativa, não é invejosa, não se ostenta, não se incha de orgulho, nada faz de incoveniente, não procura seu próprio interesse, não se irrita, não guarda rancor, tudo espera, tudo suporta" (Jean Emile Anizan)
Ocorreu um erro neste gadget

Bate Papo no Blog