quarta-feira, 11 de maio de 2011

FILHOS DA CARIDADE - JUBILEU DE OURO

Os padres Mahon, Félix, Miguel e Luiz Carlos estiveram presentes na Câmara dos Vereadores de Santo André, hoje (dia 11/05/2011) para recebermos uma homenagem do nosso povo e de alguns vereadores relembrando 50 anos de história dos Filhos da Caridade no Brasil e os 60 anos de ordenação sacerdotal do padre Mahon.
Muitas autoridades estiveram presentes: Antonio Leite (presidente da mesa nesta sessão), Montorinho, Vanderley Siraque, Thiago Nogueira, Maria Ferreira Loló, padre Antonio (nesta ocasião, representando o prefeito Aidan Ravin e atuante como secretário da inclusão social), Jairinho, e com destaque lembramos o nosso povo, batalhador e atuante conosco na "EVANGELIZAÇÃO DOS POBRES E TRABALHADORES".
Dentre o leque de atividades destacamos o cerimonial montado pelo verador Thiago Nogueira e sua equipe, a apresentação da banda Lira de Santo André tocando o hino nacional e o hino de Santo André, a apresentação cultural, os discursos feitos pelos padres Félix, Mahon e antonio, além das bonitas palavras trazidas pelo vereador Thiago Nogueira.
São anos de lutas, combatendo a ditadura militar, a carestia que boa parte dos pobres viveu e ainda vive em alguns lugares, as lutas atuais contra a arbitrariedade do CDHU contra os moradores do Jardim Santo André, desejando retirar famílias de trabalhadores de seus lares construídos ao longo de tantos anos (aproximadamente 25 anos), com argumentações infundadas.
As vezes somos tachados de paders encrenqueiros, subversivos, vermelhos, comunistas, mas a nossa arma se chama Evangelho de Jesus Cristo, que colocado em punho e em comunidade, transforma-se em Boa Nova para os pobres e má nova para os privilegiados.
Buscamos construir uma Igreja popular que favorece a criatividade do nosso povo, tão religioso e de muita fé. Nesta Ecclesia há lugar para lutas populares, para visitar as nossas famílias e amigos, até de outras paróquias, celebrações eucarísticas, batismais e de quaisquer sacramentos, de mostrar que somos homens alegres porque encontramos a felicidade em servir aos pobres e trabalhadores.
Cinquenta anos de história, três gerações de padres e pedimos a Deus que nos guie sempre, na rota da Caridade e lembrando a todos "Não é o Povo que deve se adaptar a nós, mas nós ao povo".
 (Padre Jean-Emile Anizan) 

Um comentário:

  1. "Não é o Povo que deve se adaptar a nós, mas nós ao povo".
    (Padre Jean-Emile Anizan)


    Senti a ausência do "povo" da Praça do Carmo. Será que os "nobres" edís esqueceram do convite?

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Bate Papo no Blog