sábado, 6 de novembro de 2010

S. Wilibrordo (07 de Novembro)

A evangelização da Alemanha do transreno teve início no século VII, no fim da época merovingia, por obra dos monges irlandeses e anglo-saxões, e atingiu o máximo desenvolvimento no século seguinte com a ação missionária de são Bonifácio. O primeiro a desembarcar na Frísia, nos países baixos, foi Wilfrido de York. Depois o abade Egberto, um mestre da vida espiritual da época, mandou Wilibrordo, originário de Nortúmbria, onde nascera em 658. Seu zelo pela difusão do Reino de Deus será o único motivo de sua dinâmica existência.
Este monge, que os biógrafos descrevem de pequena estatura, cabelos negros, de delicada constituição, com olhos profundos e vivos, encarna o tipo ideal de um monge ocidental: um trabalhador que não conhece pausa e nem crise de desânimo; austero, prudente, leal, tenaz, devoto do papa. Formado na abadia inglesa de Ripon, com a idade de vinte anos tinha ido à Irlanda para aperfeiçoar sua cultura teológica sob a guia do abade Egberto, que aos trinta anos o consagrou sacerdote.
Após o insucesso da missão de Wilfrido, foi mandado com onze companheiros para a Frísia. A vitória de Pepino de Herstal sobre o rei Radbod em 689 tornou mais fácil a campanha. Desembarcados na embocadura do Escaut, uma região de terras férteis, os missionários se dirigiram terra adentro, acolhidos com grande honra pelo duque Pepino. Mas Wilibrordo, antes de dar início à obra de evangelização, quis ir até Roma para obter o beneplácito do papa. De Sérgio I recebeu aprovação e encorajamento. Ao retornar, o monge escolheu Anversa como centro de seu apostolado e como quartel general das futuras fundações, das quais a mais célebre foi Utrecht.
Para erigir a nova sede diocesana na Frígia, Wilibrordo foi de novo a Roma, onde o papa Sérgio I, a 21 de novembro de 695, o consagrou bispo, com o nome Clemente (24 anos mais tarde Gregório II fez o mesmo com o monge saxão Wilfrido-Bonifácio). A partir deste momento seria difícil enumeral todas a s viagens do infatigável missionário, das margens do Reno até a Dinamarca. Fundou em Echternach (Luxemburgo) um pequeno convento e aí morreu a 07 de novembro de 739 com 81 anos de idade.
Foi um homem de ação e oração, e sobretudo um grande organizador, com destacado senso de comando, que lhe permitiu, graças também à formação de bispos auxiliares (uma novidade para o Ocidente), evitar as divisões das igrejas com a consequente dispersão da atividade pastoral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Bate Papo no Blog